Gestão de Crises de Comunicação

29, abr 2016


A ETC Comunicação Empresarial cria, desenvolve, realiza e introduz em sua empresa planos de Gerenciamento de Crise de Imagem, garantindo a melhor estratégia de atendimento à imprensa em situações normais ou inesperadas, evitando assim danos à reputação de sua empresa ou marca.

A reputação empresarial é um construto fortemente dependente do tempo e da opinião pública. Cabe à empresa destacar de sua identidade organizacional aqueles atributos que pretende ver reconhecidos ao longo do tempo pela opinião pública e gerir seus relacionamentos de modo que contribua para a percepção coerente entre aquilo que diz ser e aquilo que realmente é.

A melhor reputação para uma empresa é aquele conjunto de percepções dos stakeholders que mais se aproxima dos atributos por ela destacados e tornados conhecidos por sua ação e comunicação.

As empresas geralmente encontram alguns desafios para consolidar as diretrizes de Responsabilidade Social Corporativa, Sustentabilidade e Ética referenciadas em sua missão, visão e valores da empresa.

Considerar precocemente a vulnerabilidade e o grande apetite a riscos que o negócio tem, buscando desde sua fase pré-operacional a definição de protocolos de comunicação em situações de crises, pode ser considerado um passo firme na consolidação de suas diretrizes empresariais.

Como as crises advêm de riscos, a ETC Comunicação propõe a criação de um Programa de Ações para contribuir com o desenvolvimento da cultura de gerenciamento destes riscos para a prevenção de crises, conforme detalhado a seguir.

Diretrizes estratégicas do Programa:

– Alinhamento com a política de responsabilidade social corporativa expressa na visão, missão e valores.

– Elemento integrador para as áreas meio e fim dado seu caráter interdisciplinar.

– Estrutura embrionária, considerando a fase pré-operacional, que crescerá juntamente com o desenvolvimento do projeto empresarial.

– Parte do Plano de Comunicação Interna e Externa da empresa

– Em conformidade com padrão conceitual adotado pela área de Gestão de Riscos

Como antever eventos de difícil previsão? As empresas devem criar uma cultura organizacional que encoraje os colaboradores a assumirem responsabilidade pelos riscos e a pesá-los em relação a potenciais recompensas. Isso significa oferecer ferramentas apropriadas para possibilitar a adoção de modelos de risco e analisar o impacto nos negócios. (…) A cultura organizacional deve incentivar os colaboradores a se preocuparem com riscos, principalmente quando os modelos estiverem sendo aplicados em novas maneiras ou em novas ofertas de serviço. É importante modelar eventos graves como parte do processo de desenvolvimento da tecnologia. Aprendemos com o exemplo do Lehman Brothers e outros, que eventos graves de fato acontecem. A cultura certa transforma debates sobre riscos entre otimistas e “pessoal do contra” em um diálogo interessante sobre sua natureza e como administrá-los. Há muitas maneiras de diminuir os riscos. O importante é considerar as possibilidades desde o início e não quando um resultado inaceitável torna-se realidade.”

(Don Tapscott e Paul Barter: A estratégia na prática)